terça-feira, 6 de abril de 2010

Monólogo de um insone

-No que você pensa antes de dormir? É, você mesmo. Aliás, você dorme? Aliás, você existe? Eu penso em muitas coisas. Engraçado como um pensamento vai puxando o outro. Eles vão se organizando como uma corrente, os assuntos são os elos... E de repente chega uma hora que você não consegue lembrar. Eu nunca consigo lembrar o primeiro pensamento da corrente. Agora mesmo eu estava tentando lembrar porque eu tinha resolvido pensar em um amigo que não via há anos. Você sabe onde ele está? O que ele está fazendo? Você poderia fazer ele falar comigo. Entendo, não dá. Livre-arbítrio. Pensei nele porque vi uma amiga em comum. E lembrei que a vi, porque comentei dela com outra pessoa. E lembrei dessa pessoa porque ela me contou uma piada engraçada hoje, mas não lembro porque lembrei da piada. Não consegui completar a corrente. Droga, esqueci o dinheiro do livro da Lari. Preferia comprar um livro de jazz. Jazz é legal, mas prefiro blues. Blues é bom de ouvir. Blues leva a gente... Vai indo, indo... Ah, o menino com sorriso de blues. Inesquecível. Saudade dele. Sorriso bonito. Lindo. Lindo também é o amigo do vizinho. Vizinho esse que tem um gosto bom pra música. Ele sempre emenda alguma música que eu canto e a gente acaba cantando junto. Outro dia foi 'leaving on a jet plane'. Meu irmão ama essa música. Vive cantarolando pelo sítio. Adoro acordar sábado de manhã com ele cantarolando lá na adega. É... dá pra ouvir de lá de casa. Melhor irmão do mundo. Eu sempre fico achando que tudo meu é o melhor do mundo. Os melhores amigos. A melhor faculdade. O melhor bolo. A melhor risada. A melhor playlist. A melhor trepada. Acho que é por isso que vivo de bom humor. Tudo meu é o melhor. Vou reclamar do que, né? Da dor de cabeça... Acho que já acostumei com ela. Sempre faz companhia. Não tem faltado nenhum dia há uns sete anos já. Dorzinha chata. Acostuma. Tudo acostuma. Ou a gente se conforma. Não me conformo, ele não pode ter ficado com aquela chata. Vou perguntar. Cara de pau demais. Deixa pra lá. Ele não me deve nada mesmo. Eu devo um café pra ele. E a discografia dos Beatles. Ele me lembra 'don't let me down'. Mas acho que a minha preferida hoje é 'lucy in the sky with diamonds'. Cada dia eu tenho uma música preferida. Às vezes, várias durante o dia. Vou mudando. Chato isso de ter uma música preferida, uma roupa preferida, uma comida preferida. Essas coisas vão mudando, pelo menos comigo. E não tou falando de amadurecimento. Tou falando de um dia pro outro mesmo. Ontem minha comida preferida era panqueca, mas hoje não posso nem ver. E tou achando que amanhã vai ser macarrão. E amanhã talvez eu prefira uma outra canção dos Beatles. Não gosto de me prender muito a essas coisas. "Mas você não disse que preferia ir ao cinema a que ficar comigo em casa?". Disse, disse. Ontem. Ontem eu preferia. Hoje não. Não fique me cobrando essas coisas. Mania chata. Chato é esse negócio de ter pé gelado. Três horas da manhã e nada de esquentar. A mão tá gelada também. Droga. Preguiça de pegar mais cobertor. Vai atacar a rinite. Rinite é coisa de gente fresca. Como eu sou fresca! Como ele me aguenta? Eu sou muuuito chata. Ele diz que é charme. Lindo. Sempre tentando me agradar. Agrada. A gente tá brigado. Nem sei o motivo da briga direito. Acho que vou ligar pra ele. Tá tarde. Ele vai gostar. Caixa postal. Saudade. Dele? Das coisas que ele faz por mim? Sei lá. Discutir relação sozinha é muita paranóia. Paranóia é a Anzi falando que tem aflição de passar a unha no caderno. Doida. Igual eu. Igual o Murilo. Saudade do Murilo. Quanta saudade hoje. Saudade de quem eu vi ontem mesmo. Essa saudade eu não deveria sentir. Tanta coisa eu não deveria sentir. Não deveria ter sentido tesão por aquele menino no shopping. Mas também, só senti, não fiz nada. Era lindo. Lindo. Muito lindo. Lindo também era aquele vestido vermelho. Tão caro. Sem dinheiro pra essas coisas. Aluguel, mercado, condomínio, luz, internet... Falta algo? Preciso separar a grana para a Lari. E... E... Olha só Tchã-nã! Completei uma corrente sem querer. Odeio dormir com correntes de pensamentos inacabados. Acho que agora pego no sono. Boa noite, ae. Mas você dorme? Você existe? Acho que já te perguntei isso hoje...

5 comentários:

disse...

Pode respirar agora

Anzi disse...

aiii que aflição!!!

Anônimo disse...

celuliteseoutrasestranhezasdemulher.blogspot.com

Gabriela disse...

também penso em mil coisas antes de dormir, e nunca acabo uma corrente rs. Adoreei o texto, bjs.

Kátia disse...

Não sei como cheguei até aqui no seu blog, mas eu ADOREI ler esse "monólogo de um insone". Boa semana!