segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Um quarto de hora.

Ah que preguiça! Faça isso! Faça aquilo! Se está com preguiça, então durma. Porra, não quero dormir, quero continuar aqui. De preguiça! Nada mais delicioso do que ficar assim, fazendo absolutamente nada, só envelhecendo. É supremo. Nada de brigar com o corpo, forçar movimentos... Nada disso. Entregar-se. Entregar-se a si mesmo. Besteira isso de ficar se esforçando para fazer algo que não se está com vontade. Queria paz. Ah que preguiça!

Devia ter nascido herdeira. Olhava para os pais. Esse negócio de filha. Cobrança. Uma chatisse. Coma direito. Estude. Emprego. Arrumou um emprego? E o namorado? Outro? Vai sair agora? Preguiça dos velhos. Sempre tão atentos. Ahhhh. Bocejo. Nhém – nhém. Delícia de rede. Delícia de noite. Pode morder pernilongo. Preguiça. Ficou olhando. Um ml de sangue a mais ou a menos. E matar pernilongos? Ahhh preguiça. Rico não tem filho, tem herdeiro. Zuuuuum. Pobre preguiçoso é pobre preguiçoso. Rico fica dizendo que é artista. Exercício de contemplação, autoconhecimento. Meter-se numa ilha, com uma rede, uns cocos e quando faltasse algo... Mandava trazer de helicóptero. Delícia ser rico. Piiii. Alô, me traz um chinelo e duas camisinhas. Ha-ha-ha. Fosse rica ia ser excêntrica. Rico excêntrico é quase uma profissão. Dá trabalho. Fingir que não cuidou do cabelo. Sair com bolsa cara e chinelo velho. Bocejo. Xá pra lá.

Xiii. Já vou, mãe. Caralho. Tá tão bom. Olá Tommy. Tommy can you hear me? Mudar de música. Não. Deixa essa. Tooommy. Tooommy. Antes ser surdo que ficar ouvindo te chamarem a cada cinco minutos. Deixa o jantar esfriar. Macarrão é bom frio. E a preguiça? Levantar da rede? Nhá. Sem fome ainda. Preguiça de desejar boa viagem a amiga. Preguiça de ser educada. Tudo tão certo. Morra todo mundo. Ou melhor, morro eu. Mas assim, de leve, dormindo. Delícia. Sem dor. Sem esforços. Acordar alminha de outro mundo.

Deve ser bom ser alma. Levinha. Atravessando tudo por aí. Só no vento. Pegando carona em brisa. De vez em quando aparecer para assustar um tonto. Alma não deve ter hora. Puta saco Deus ficar dando ordem. Vai encarnar naquele ali. Eternidade também dá trabalho. Preguiça de viver pra sempre. Imagina. Mas deve ser bom ser alma. Invisível. Não precisa de banho. Não precisa de carro. Não precisa de roupa. Ah. Andar pelada por aí. Noite de verão igual essa? Só ia andar pelada. Alma é que sabe viver. Ou melhor, morrer. Sei lá. Alma. Como é que é esse negócio. Acreditar em Deus. Delícia. Evita a fadiga. Você nasceu aqui porque Deus quis. Você não foi feliz porque Deus quis. Fica doente? Reza. Puta conforto. Deus é que começou com esse negócio de preguiça. Descansar no sexto dia. Sétimo. Deve tar descansando até agora. Deixou correr solto. Ha-ha-ha. Maior zona. Carnaval. Aeee. Todo mundo pelado. Tá descansando, né? Entendo. Preguiiiiça.

Preguiça de ser legal. Preguiça de existir. Ah Gabriel, você é legal, mas precisava ligar agora? Deixa tocar. Gabriel. Puta delícia. Só de pensar, arrepia. Trepava que era uma coisa. Mas essa mania de casar, compromisso. Xiii. Mais tarde. Filhos. Casa ou apartamento? Ilha, Gabriel. No meio do nada. Ilha. Casinha pequena. Só nós dois e o helicóptero de vez em quando. Fosse rica, sumia contigo no mundo, seu gostoso. Jardinzinho bonito na frente. Rede na varanda. Zuuuuuum. Inseticida. Peixinho na brasa. Você cozinha. Eu faço o suco. E sexo. Muito sexo. Trepo contigo até debaixo d’água. Ele deve lembrar. Foi bom. Foda. Casaria agora, mas você tem essa mania de cobrança. Sempre questionando. Deixa rolar. Olha a pedrinha na ladeira, só rola. Delícia. Ir rolando. Pedrinha na ladeira, alma... Coisas boas de ser.

Ah Gabriel. Puta vontade de trepar. Liga de novo que eu atendo, seu safado. Não vai ligar, né? Vai fazer charme. Adoro. Você, eu a rede. Mais nada. Nem precisava. Trepar com preguiça. Corpo meio mole, deixando levar. Delícia, Gabriel. Delícia. Você é, pois é. Acende um cigarro. Cigarro é legal. Vai queimando, sem pressa. Melhor que cigarro é fumaça. Esvaindo na preguiça do abandono. Espalhando, sumindo, diluindo. Diluir é uma palavra linda. Diluo-te. Ha-ha-ha. Ai Gabriel, liga de novo que eu atendo. Vem fumar comigo. Se os velhos não estivessem em casa. Puts. Trepava fumada. Fumada e de preguiça!

People try to put us down. Talkin’bout my generation. Preguiça. Geração isso. Geração aquilo. Mania de engajamento. Eu quero dormir. Não quero lutar contra a fome. A preguiça é egoísta, meus amores. Não ligo para a fome. Eu não tenho fome. Tá ótimo. Mania de oposição. Tá bom assim. Dá trabalho ser da oposição. Apontar erro aqui. Se revoltar ali. Odeio gente que quer discutir política em hora errada. A pessoa nem quer discutir política. Só quer dizer que sabe. Ah vá tomar no meu cu! Tanta coisa legal para conversar. Conversar sobre algo só pra dizer que sabe. Asneira. Vamo falar de rock. The Who. Adoro Who. Quem? Quem...

Preguiça não é um estado. Preguiça é estilo de vida. Passaria a vida assim. Contemplativa. Rica. Rá! Ia pintar umas pessoas peladas. Tocar gaita pro Gabi em noites de luar. Ah Gabi. Só isso. Mais nada. Mandava a faculdade pro inferno. Mandava o patrão pro inferno. Aquele fedido. Fedido é legal. Maior briga. Aí você vira e chama o fulano de fedido. Digno. Não quero mais trabalhar pra você, seu fedido. Ia contar para os netos. Netos? Mas nem filhos... Criança dá trabalho. Mas brincar de fazer criança é legal. Só ensaiando. Tamo bom nisso, hein, Gabi? Anos de ensaio. Dias seguidos. Ah Gabi, até Deus descansou no sexto. Sétimo. Mas se você ligasse, eu atendia e fazia a tarada. Te pego em meia hora.

Já vou mãe. Já vou. Tou aqui brincando de Deus. Tou descansando e deixando uns pernilongos viverem. Puta poder. Decidir a vida do outro. Pernilongo vive. A loura aguada que quer dar pro Gabi, morre. Existir dá trabalho. Até pra planta. Fotossíntese. Puta cansaço. Tudo tem uma função no sistema. Coisa de gente idiota, babaca, sistemática. Tenho função nenhuma, não. Tou aqui a passeio. Passeando. Curtindo. Só. Envelhecendo. Tudo tende a preguiça. Tudo tende a parar. O corpo morrendo. Envelhecendo. Tudo parando. Preguiça é o começo e o início da vida. Você nasce no orgasmo que é a preguiça do corpo. Você morre na morte. Dã. Que é a preguiça do seu corpo.

As pessoas deviam dar valor à preguiça. Faz tão bem. Você vai se enchendo de nada. Mas é uma sensação linda. Poético o negócio. Masturbação do vazio. Cultivar a preguiça. Exercício de... Não. Exercício lembra regra, que lembra trabalho. Outra palavra. Dane-se. Mas preguiça é bom. Zuuuuuum. Bicho agitado. Preguiça de bicho agitado. De gente engajada. De criança prodígio. De idoso ativo. De adolescente com mania de duas faculdades e três empregos. Ócio, meu povo. Ócio. Mania de diversão. Diversão tá aqui dentro. Respira fundo, solta. Olha a fumaça. Diversão garantida. Ou seu dinheiro de volta. Mais quinze minutos.

4 comentários:

disse...

Tem certeza que vc não é baiana?
Como diria o ultraje
Eu tenho uma preguiça
Gigantesca
Gigante pela própria natureza

Marina Galeano disse...

Vai virar cronista, meu bem?
Arrasou na piração! Sua cara... Aliás, vi vc dizendo cada frase! Rsrsrsr
Amooo
Beeijos Tchones

Fabi disse...

Muito bom!!!

Eu quero é botar meu bloco na rua disse...

eu fui vc agora! viagem...
Adorei seu blog. Acabei de chegar e gostei do vi até agora, mas esse foi d+. eu fui vc...