terça-feira, 5 de janeiro de 2010

A pessoa que vos fala continua de férias, mas o blog já tava mais do que na hora de voltar, né?

Embora alguns digam que o ano só começa depois do carnaval, já estamos no segundo dia útil de 2010 e muuuita gente já voltou a trabalhar e muitos nem pararam direito...

Esses dias longe do trabalho, longe do stress de escritórios, máquinas, chefes e papeladas, servem para relaxar, desligarmos do mundo...

Bem, ao menos é para isso que deveria servir... Mas quando você chega em casa no seu primeiro dia das tão sonhadas férias, acaba descobrindo que precisa ir ao médico, tem também os exames clássicos que somos obrigados a fazer uma vez a cada ano, dentista, compras para a casa, as crianças estão de férias, aquele vazamento precisa ser resolvido com urgência, a reforma na garagem não pode mais esperar, sua mãe vem te visitar, sem o direito de escolha você é comunicado sobre onde passará as noites de natal e de ano novo...

Assim, de repente, aquele tempo que você tinha prometido dedicar a você, a uma viagem, ao descanso, ao simples 'não fazer porra nenhuma', cadê? Sumiu!

Férias deveriam durar pelo menos um mês, como eu disse a um amigo hoje cedo, teríamos uma semana para irmos aos médicos de toda natureza, fazer baterias de exames. Outra semana para nos dedicarmos à organização da casa, resolver pequenas pendências, duas semanas (ou mais, para os sortudos) para fazer uma viagem e mais uma semana de pura coçassão de saco!

Aquela última semana em que você vai ficar descansando mesmo, lendo livro, morgando em frente a TV, refletindo sobre a morte da bezerra, dormindo como se não houvesse amanhã... Acho que essa é a mais importante parte das férias... As pessoas não sabem o valor do ócio! E não tou falando de ócio produtivo, de reflexões profundas e úteis... Tou falando desse encontro com o nada, dormir e acordar sem ter nadica de nada pra fazer e ninguém te cobrando sequer um suco de laranja...

Os mais agitados vão dizer que preferem sair, badalar, mas isso tbm cansa, faça isso na semana dedicada à viagem, ou na semana dedicada às compras... Mas experimente uns cinco, sete dias de total inutilidade... Inutilidade para os outros, porque para vocês será muito útil.

Descanso não é passar horas num aeroporto depois de uma viagem maravilhosa e no dia seguinte voltar ao trabalho, descanso é ficar em paz, é se encontrar sem preocupações, deixar a preguiça tomar conta sem medo. Gente, isso relaxa tanto, te deixa tão feliz!

Não ter hora pra tirar o pijama, nem pra comer, nem pra trepar, nem pra nada... É você fazendo o que quiser, a hora que quiser e se quiser desistir de fazer, foda-se... Você não precisava mesmo!

A isso eu chamaria de férias: tempo para fazer tudo que eu preciso e quero e principalmente tempo de sobra para não fazer simplesmente NADA!

Acho que já tava bom, né?

2 comentários:

Cleitão disse...

Essas são as férias perfeitas! Acho que eu já ouvi essa, mas não tinha lido o post! rs
Beijos

Cíntia Moraes disse...

Pois é... foi a conversa com vc que gerou o post! Da próxima vez que eu citar um amigo, coloco o nome!

Tem que dar os créditos, né?!