segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Especial Festas de Fim de Ano II

É só andar pelas ruas e avenidas de todas as cidades que sem um pingo de dificuldade você já vai dar logo de cara com umas luzinhas 'enfeitando' certas fachadas... Umas meio defeituosas, outras mais caprichadas, o fato é que elas estão aí e vão fazer a cidade piscar até o começo de janeiro.

Mas como nem só de luzinhas vive a decoração natalina...

Essa é a segunda parte dos especiais de fim de ano e vamos falar de decoração!

Árvore de Natal

Você tá andando na rua e esbarra numa mulher que sacode dúzias de penduricalhos ao longo de 13 pulseiras, mais algumas contas em um brinco que pende sobre os ombros, alguns anéis que bem ocupam metade dos dedos e uma bolsa cheia de argolas... Que que tu pensa? Árvore de Natal!

Sim, os pinheirinhos natalinos sempre foram tão recheados de tudo de mais colorido e barulhento que as peruas acabaram por ser conhecidas assim, já que às vezes elas realmente parecem piscar de tanta coisa que carregam.

Mas, peruas à parte, estamos numa nova era, deixamos de lado os penduricalhos over dos anos 80 e - a não ser que você seja um pseudo-modernete com gosto duvidoso, digo, diferente e curta esse lance kitsch - está na hora de darmos um pingo de dignidade a esse item que vai figurar no canto de sua casa pelo menos por um mês.

Para começar se desfaça daquela árvore artificial, pouquíssimas, mas pouquíssimas meeesmo, são bonitas e, no mais, elas sempre terminam ocupando uma caixa enooorme no seu armário durante os outros onze meses do ano! Sejamos práticos! Pinheiros naturais são super baratinhos, cheirosos (alguns têm um cheirinho de limão ma-ra-vi-lho-so), não custam caro (já vi de um metro de altura por 35 dinheiros), vão durar o resto da vida, vão participar da decoração do seu jardim e você vai poder podar como quiser para reutilizá-los anos a fio. Só tome cuidado pra não levar um vaso que num seja de pinheiro plantado, aqueles colocados duram uns 30 dias e vão ficando feios logo! E no mais, você só vai precisar de uma regadinha por semana para mantê-lo lindo e fresco! Ui!

Evite, pelo amor de Deus, evite algodão pendurado pelos raminhos como se fossem neve. Aquilo não parece neve, desista! E fica horrendo! Nosso natal é geralmente ensolarado e não faz sentido persistirmos num modelo wannabe-hemisfério-norte até nos pinheiros.

Pendurar bolas e laços já está de bom tamanho, não precisa pendurar tudo que você encontra com argola. Há quem faça só com estrelas ou com outros tipos de enfeites, eu, muito pessoalmente, prefiro bolas e laços e pronto! De preferência à enfeites cores que combinem entre si... Dourado, prataeado, azul, rosa, amarelo e vermelho não costumam dividir espaço pacificamente... Melhor é escolher duas cores e trabalhar com elas e pouquíssimas variações para evitar que sua árvore de natal acabe semelhante àquelas peruas adocicadas e tilintantes.

Presépios e afins

Aqui é foda! Todo cuidado é pouco mesmo! Só invente de fazer presépio se você dispõe de paciência, habilidade e senso estético. Não dá pra fingir que o boneco surpresa do kinder ovo é beibe dgizãs (rá!), não dá!

Muitas vezes pode não rolar presépio mais rola aquela cestinha do beibe dgizãs com uma velinha do lado, sei lá, já vi tanta coisa assim... O problema é quando a pessoa perde a mão e enfia uma toalha de mesa vermelha naquele banquinho, bota no canto da sala, acende uma vela de sete dias, coloca um copo d'água (pra benzê, né fia?!) e quando termina jura que é homenagem, mas acaba que parece mesmo com uma macumba daquelas que se tu encontra na beira da estrada não se segura em dar uma boa bica.

Luzinhas e Pisca-pisca

O melhor é que nem pisque para evitar que a coisa pareça meio manca. Tem quem compre os ferros imitando letreiros e depois enrole as luzinhas que em determinado momento aparecem assim sobre as portas: FE Z A AL. Eu já quero levantar a mão e gritar que á minha vez de tentar adivinhar a letra mas me contenho porque nem todo mundo está disposto a brincar de forca.

Tudo bem que ninguém vai gastar mais com luzinhas do que com peru, mas toma cuidado com a procedência das coitadas, principalmente se elas forem parar também entre os galhos do pinheirinho natalino pra não correr o risco de ter um show de fogos de artifício bem no meio da sua sala!

Como bom gosto é obrigatório em tudo... Não compre, não, não gaste seu dinheiro com aquela estrela que pisca em carreirinhas multicoloridas. Parece adorno de bordel e tenho dito!

Só para constar:

-Se você tem algum tipo de estabelecimento comercial, não coloque nenhum tipo de Papai Noel na porta de entrada se ele estiver programado para disparar um solo de saxofone cada vez que um cliente adentrar o recinto, é pro seu bem...

-Não só para esses itens, mas para tudo que terá status de decoração natalina na sua casa pelos próximos dias: tome cuidado com momentos de faça-você-mesmo! Artesanato é lindo, mas isso se você levar jeito... Esse negócio de inventar de fazer bola encapando bolinha de gude, pintar vela e fazer laço com aquele cetim de uma velha caixa de presente não é legal. Não é arte! E corre sérios riscos de ficar medíocre! Limite seus pitacos artísticos aos assuntos que você realmente entende!

Um comentário:

Adriana disse...

Muito bem colocadas as observações sobre o decoração e outros acontecimento que fazem parte do Natal. Gostei especialmente do adendo que aconselha as pessoas a abolirem o algodão. Além de não termos neve no Brasil, a poeirinha que fica no período que a árvore fica montada dá um "quê" de nojinho no na composição toda.
Fico aqui ansiando pela parte II, já que ainda estamos no dia nove.

beijos querida