quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Coisas que poderiam sumir do mapa III

Porque eu sou toda justiça, né? Tardo, mas não falho! (má oê!) E para provar que estou de volta, trago-lhes, diretamente do âmago de minha alma, mais um capítulo da série de posts que carinhosamente tratam das coisas que eu exterminaria com um peido, se possível fosse.

Dessa vez, os motivos pelos quais me encontro aqui são...

3 - AS DEMONSTRAÇÕES PÚBLICAS (EXAGERADAS E BREGAS) DE AFETO!

Tem coisa que me irrita nessa vida é isso... Passei anos temendo que em algum momento alguém resolvesse me dar de presente de aniversário um carro colorido, soltando fogos de artifício com uma música de gosto duvidoso e um cara com um microfone, fazendo o locutor, na porta de casa (ou da escola) me desejando os parabéns em nome de quem quer que fosse.

Graças a Deus o medo passou porque quem me conhece sabe que eu odiaria um treco desses e como estou rodeada de pessoas sensatas (na medida do possível), creio que elas entenderam meu recado.

A questão não é sentir vergonha, achar que é mico... A questão é expor sentimentos, ninguém precisa ouvir sua mãe (namorado, pai, amigos) dizendo num microfone o quanto você é importante, o quanto você é amado... Certas coisas só precisam ser ditas para quem está diretamente ligado no assunto, e no mais, se alguém te amar tanto assim que precise extravasar esse sentimento pelo 'seu amor', relaxa, se for de verdade mesmo, isso vai estar nos olhos e ninguém precisará ser surpreendido por um carro doido na vizinhança espalhando aos quatro ventos que fulano é amado por sicrano. Coisas assim a gente demonstra naquele carinho, naquele jeito de olhar que sempre acaba escapando por mais que você tente se controlar quando está em público.

Mas o que, para mim, é um problema mesmo é o que esse povo metido a Gasparzinho (transparente, rá!) faz no Orkut... Principalmente os casais bobo-alegres...

O Orkut é vitrine de casais, nunca vi nada igual! As pessoas se declaram, comentam fatos íntimos, expõem fotos que deveriam ser guardadas para os dois olharem juntos, curtirem juntos... Fica tudo lá, feito carne no açougue, com todo mundo olhando, só 'torcendo' pro circo pegar fogo e de repente um dos dois mudar o 'estado civil'. E eles são tão transparentes que cada briguinha, por mais insignificante que seja, é facilmente identificada naquela música que colocaram no perfil, uma coisa sempre meio "não precisa mudar, vou me adaptar ao teu jeito, teus costumes, teus defeitos..." (e jura que se adapta, né fia?). E quando o bicho pega, rola um "that's it, there's no way, it's over, good luck''. E quando voltam, tudo que é meio virtual de comunicação sofre com os recados 'Fulano e Sicrano Forever'.

E se você tem as duas partes do cônjuge entre seus contatos, se prepare para contemplar um verdadeiro diálogo amoroso entre status do Orkut e mensagens pessoais do MSN. 'Ju - Bih, te amo, coisa linda', 'Bih - Te amo +'... Isso só pra dar exemplos curtos e que nem despertam tanto assim a vergonha alheia, porque quando o casal se inspira sai coisas do tipo 'não vejo a hora de chegar em casa...', 'noite maravilhosa, brigada amor', 'te espero daquele jeitinho', 'amo aquela pintinha linda hihihi'. E o ser aqui que vos fala se vê entre pensamentos obscuros sobre o que seria o tal jeitinho e onde se localizará a tal pintinha... Abstrai... Abstrai...

É natural que com esse boom da internet, que motiva as pessoas a mostrarem o melhor de si ( que ninguém põe foto que odeia nos álbuns), muita gente quer mostrar mais do que fotos perfeitas, quer mostrar uma vida perfeita... Inventa, aumenta... sei lá... A criatividade humana nesse quesito me espanta horrores.

É óbvio que alguma coisa sempre vai transparecer... Eu mesma tenho fotos com o meu bofe, algumas coisinhas idiotas na legenda... Mas nada comprometedor, nada que revele nossa intimidade ou hábitos. É saudável você ter relacionamentos e não escondê-los, mas não precisa convidar todo mundo pra um Big Brother da sua vida a dois.

Uma coisa é ser carinhoso, falar de afeto, de admiração, recadinho, testimonial legal... Outra é fazer charme insinuando uma vida sexual ativa ou as qualidades infinitas do seu amor que te leva flores todo dia, que te liga 35 vezes pela manhã... Pra mim, quem precisa disso, sei lá, é porque a coisa tá feia... Quando você precisa expor para ficar satisfeito é porque nem você acredita mais naquilo e faz aquele lance "uma mentira contada zilhões de vezes se torna uma verdade...", mas só funciona no imaginário, porque na real, o bicho tá pegando (truta!).

Exemplo mais tosco (é a única palavra que realmente define) que tive disso foi quando vi nas atualizações de meus contatos que meu amigo X tinha recebido um depoimento da namorada Y, daí que dizia algo como 'tou te esperando na caminha, morrendo de saudades de ficar de conchinha'... Os mais desavisados exclamam em uníssono: ''Ohhhhh, que meigo’’... Eu achei uma palhaçada, como que alguém aceita um depo tão íntimo assim? E numa conversa com esse amigo X, descobri que era a própria Y que tinha escrito e aceitado o depoimento no Orkut dele, sabe, pra dar aquele ar de 'olha como a gente é fofo'... Isso sem contar os tantos outros que ela tbm mandou detalhando a vida no lar doce lar do casal... E X? X desabafou com a pessoa que vos fala, o namoro está ruindo e ele já tá de saco cheio querendo chutar o pau da barraca. E Y? Y continua legendando suas fotos com poemas gigantescos falando da descoberta da alma gêmea e das maravilhas de ser uma família margarina. Precisa se prestar a esse papel?!

A graça toda da vida a dois é ela se restringir a dois (!)... Olhares cúmplices, segredos, risos indecifráveis... A discrição é a mãe de relações saudáveis, ou pelo menos, de pessoas com um pingo de amor próprio... Não precisa se esconder, deixar de ser espontâneo. Certas pessoas realmente são mais abertas, mas daí até a pormenorização do convívio de um casal tem uma grande diferença. O limite entre o carinhoso e o escandaloso tem que ser respeitado, as fronteiras têm de estar sempre claras para que não se corra o risco de ultrapassá-las ao menor deslize.

Tá trepando todo dia? Descobriu as maravilhas dos orgasmos múltiplos? Descobriu que é legal passar a noite toda conversando e rindo da vida? Achou o pinto (ou equivalente feminino) da sua vida? Ótimo, do fundo de meu umbigo eu fico muito feliz por você, mas, vai por mim, guarda tudo isso dentro do seu saquinho de coisas legais e não mostra pra ninguém... Mesmo porque o que tem de gente cheia dos 'contato bom' pra fazer 'trabalho esperto' pra acabar com alegria alheia...

As pessoas precisam, definitivamente, aprender que roupa suja se lava em casa e rasgação de seda se faz, de preferência, ao pé do ouvido.

3 comentários:

Marcela De Mingo disse...

Cí, visualiza Jesus, calma, respira, acha o foco.. Fecha essa saquinho menina!!! AHUAHUAAUH Bom, mas brincadeiras à parte, eu tbm detesto esse tipo de demonstração pública demais..Não sei, sou muito careta quanto a esse assunto, muito romantiquinha... Mas acho que existem atos e atos de amor. Uma cosia é o seu namorado te surpreender um dia com um buquê de rosas.. outra é vocês ficarem martelando na cabeça dos outros o quanto são felizes. Pq peloamordedeus ninguém é feliz desse o tempo inteiro!!! Argh, depoimento inapropriado, altas declarações de amor no nick do msn dá vontade de mandar um superjóinha pra pessoa e berrar bem alto no ouvido do cidadão 'GUARDA PRA VOCÊ, COLEGA!'

ufff...foco, foco...pronto, fehei!
sem mais!

Marcela Bonazzi disse...

Faz assim oh, pega o comentário da Maki e faz vezes dois!!!

Ah, a gente é siamesa, vai fazer o que....

E eu concordo que demonstração de amor não deve ser pública, a não ser que seu namorado seja um rockstar e dedique uma das músicas do show pra você, aí tudo muda...

Amooo você!

Daniela D. disse...

Concordoooooooooooooo!!!
Disse tudo! Também de-tes-to melação pública.